Até a década de 1950, a associação tinha a denominação de “Associação de Japoneses de Indaiatuba”. À medida que aumentava o número de agricultores de tomate, aumentava o número de associados, intensificando cada vez mais as atividades artísticas e práticas esportivas, como o UNDOKAI (gincana poliesportiva).

Beisebol

Em 1953, mudou-se de Presidente Prudente para Indaiatuba o famoso como jogador de beisebol Maruyama, e logo deu-se início ao treino desse esporte em Indaiatuba. Até então, o time de Indaiatuba, que carecia de qualidades técnicas no esporte, passou a melhorar cada vez mais com a entrada do técnico. Isso impulsionou mais ainda os jovens da associação no esporte.

Fujinkai

As atividades do grupo de senhoras e jovens também tiveram início por essa época. No segundo domingo de maio de 1956, quando se comemorava o “Dia das Mães”, as senhoras e jovens da associação se reuniram e formaram nesse dia a Associação de Senhoras de Indaiatuba, conhecida como FUJINKAI. A primeira presidente foi Toshiko Takahara.

A primeira diretoria foi composta por Yuki Ueda (vice-presidente) e Chieko Ueda (secretária e tesoureira), que deram início a várias atividades de integração entre senhoras, bem como o trabalho de bastidores em todos os eventos da Associação de Japoneses, para os quais tornaram-se imprescindíveis.

Sede social

Foi no auge dessas atividades, desenvolvidas tanto pelas senhoras como pelos jovens, que passou-se a discutir a necessidade de um local para a realização de diversos eventos. Quando Miyoji Takahara assumiu a presidência da Associação, em 1959, tornou-se concreto o plano de construção de uma sede social própria e a necessidade de adquirir um terreno para essa realização. Para tanto, foi formada uma comissão composta pelos senhores Miyoji Takahara, Yoshiro Hayashi e Eikiti Ueda. O objetivo era mudar a sede da Colônia Bicudo (Fazenda Pau Preto) para o centro da cidade de Indaiatuba.

Matagal

Hoje o terreno em que se encontra a sede social da ACENBI encontra-se praticamente no centro da cidade, mas na época era considerada afastado, tendo ao redor apenas matagal e eucaliptos. Havia um pequeno espaço de campinho aberto, onde podiam se realizar torneios de beisebol. Saudosos dessa época lembram que muitas vezes tinham de procurar a bola que caía no meio do matagal.

A próxima etapa seria levantar fundos para a construção do prédio da sede social. Iniciou-se uma campanha de solicitação de doações, inicialmente entre os associados e posteriormente estendendo-se para pessoas da região de Campinas e São Paulo, O plano de arrecadação de contribuições levou cerca de dois anos. O prédio da sede social construído tem 12m de largura na entrada e 30m de profundidade.

Na época, os planos de construção visavam ampliar as instalações, de modo que a base suportasse posteriormente um segundo ou terceiro andar. Para tanto, investiu-se numa sólida base de construção, que mantém firme estrutura após passados 40 anos.

Num único local

Porém, os associados conseguiram arrecadar apenas 300 mil cruzeiros (cerca de 3000 dólares, valores de época, os quais comparados em valores atuais corresponderiam a cerca de 5 a 6 vezes esse valor), que foram insuficientes para cobrir os gastos com a construção. Por essa razão, os diretores da época tiveram que arrecadar o restante, exibindo filmes, solicitando doações especiais e diversificando a forma de atuação para atingir o objetivo.

A construção da sede social facilitou em muito as atividades da Associação de Senhoras (FUJINKAI), dos jovens (SEINENKAI) e também da Escola de Língua Japonesa que se transferiu para o novo prédio, tornando-se um local propício para os diversos eventos da associação, num único local. Além dos tradicionais eventos como o Undokai (gincana poliesportiva), Atletismo e Beisebol Infantil, a Colônia Nikkei também passou a participar da Festa das Nações, evento importantíssimo da cidade onde imigrantes da Itália, Portugal, Suíça e Alemanha participavam apresentando cada qual comidas e danças típicas.