Concomitantemente com o crescimento da cidade, a Associação também foi crescendo, de modo que após a construção do prédio social aumentaram consideravelmente suas atividades. Em 1960, observou-se o desenvolvimento agrícola no cultivo do tomate, em 1970 o desenvolvimento industrial e por conseguinte o crescimento econômico da cidade.

Intercâmbio com Campinas

Durante esses 20 anos, observou-se um crescente aumento do contingente nipônico e também uma crescente transformação na Associação Japonesa. Não apenas pelo aumento de uso da sede social, como também um aumento na integração com outras Associações locais, destacando-se principalmente com a Associação Japonesa de Campinas. A partir de 1961 formou-se uma comissão avaliativa dos produtos agrícolas produzidos por ambas as cidades, promovendo intercâmbio entre os agricultores, Grupos de Jovens (SEINENKAI) , Grupos de Senhoras (FUJINKAI) e posteriormente entre as escolas de língua japonesa.

Foi através desse intercâmbio, bem como devido às condições econômicas favoráveis, que foi possível terminar a construção do prédio da escola de língua japonesa e uma moradia para o professor (ambos fazendo parte do terreno onde fora construído a sede social), em novembro de 1967, por ocasião da Comemoração dos 20 anos da Associação. E em março de 1970, a Associação adquiriu um terreno de 1,5 alqueires (cerca de 3,6 hectares) no valor de 380 mil cruzeiros (valor da época) próximo à Rodovia SP-75, na entrada de Indaiatuba.

Clube Esportivo

Deu-se início ao projeto de torná-lo num Centro Esportivo. Para tanto, independentemente da Associação, a idéia era torná-lo um Clube Esportivo. Para isso, cada associado adquiria títulos, tornando-se cotista para a compra de lotes. Porém, com o aumento de valores, não foi possível dar continuidade a este processo, e consequentemente não conseguiram angariar fundos suficientes para a construção do mesmo.

Assim, o projeto foi interrompido provisoriamente, e colocado apenas um cercado ao redor do terreno. Na gestão do presidente Maçaki Umeda (1975), foram adquiridas placas de concreto, de modo que foi possível construir muros ao redor, bem como instalar o portão de entrada. Nesse período, através da Festa do Tomate, foi possível angariar fundos para a construção. Porém não o suficiente para executar o projeto do Clube Esportivo.

Centro Esportivo

Em 1977, na gestão do presidente Kinji Wakano, fortaleceu-se a opinião de que o projeto de transformá-lo num Clube Esportivo deveria ser liquidado, e que a manutenção do terreno deveria voltar a ser de responsabilidade da Associação, como Centro Esportivo. Assim, em junho daquele ano, através de Assembléia Extraordinária, os direitos administrativos e de manutenção foram transferidos para a Associação, com unanimidade de votos. Desta forma, no dia seguinte, deu-se a transferência dos títulos, bem como as responsabilidades com a manutenção do terreno, para a Associação.

Os trâmites burocráticos para a transferência foram realizados pelo então secretário Tatsuo Iso — considerado como perito em resolver os problemas relativos à questão do Clube, bem como braço direito do então presidente Wakano, com o qual possibilitou a realização do cerimonial para a Comemoração dos 30 Anos da Associação (10 de setembro de 1977), e bastante dedicado com relação aos assuntos da Associação.

Campo de futebol

Com a combinação da dupla Wakano-Iso, a Comemoração dos 30 Anos da Associação transcorreu com êxito. Após as festividades, partiram para a implementação do Centro Esportivo. Com projeto de construção de campo de beisebol, campo de futebol e um parque infantil, inicialmente fizeram uma revisão dos planos de construção existentes. A primeira etapa do projeto de construção foi o campo de futebol, com ampla divulgado dentro da colônia e solicitação de doações. No caderno comemorativo dos 30 anos da Associação, há uma nota explicativa e um chamado a toda comunidade nipônica para auxiliar e contribuir para os projetos de construções.

Não foi fácil arrecadar o dinheiro necessário para concretizar o projeto de construções, do qual só foi possível concluir a primeira etapa, iniciado pelo presidente Wakano em 1978, na gestão do presidente Fumio Kato.

Somente nesse ano foi possível finalmente utilizar o campo de futebol. Na gestão seguinte, do presidente Kazuhiro Toyoki (1981), foi concluída a segunda etapa do projeto, que era a construção do campo de beisebol.

Beisebol

A conclusão contou com auxílio da prefeitura no mandato de Clain Ferrari. O engenheiro civil José Carlos Tonin, que mais tarde governou Indaiatuba, projetou e traçou a planta de construção sem cobrar nada pelo trabalho. Além disso, auxiliou e contribuiu de vários modos, possibilitando a construção de um magnífico campo de beisebol. Desde que foi adquirido o terreno em 1970, e por muito tempo sem receber melhoria, aos poucos foi se transformando, tornando possível utilizá-la para treinos esportivos e realização de jogos e campeonatos.

Graças aos esforços de cada associado, em forma de mutirão, foi possível reduzir os gastos com a manutenção e diminuir o tempo de conclusão das obras de construções. Com o lema “nossa instituição deve ser construída pelas próprias mãos, com nossos esforços”, seguido pelas gerações seguintes, é que foi possível dar continuidade à Associação. Com esse espírito de cooperação é que foi se fortalecendo cada vez mais o principal objetivo da associação, que é a Fraternidade.

Gateball

Na gestão do presidente Shuzo Yoshiizumi (1983 a 1984), foi possível concluir toda a parte externa do Centro Esportivo, com reformas dos muros de concreto. No mandato seguinte, do presidente Shigenobu Fujii (1985 e 1986), foi possível acelerar o projeto de construção das quadras de gateball.

Na administração de Shigenobu Fujii, foi criado o Fundo de Construção da Piscina, com intuito de atrair mais associados.

40 anos

Foi desta forma que em 1987, por ocasião da comemoração dos 40 anos da ACENBI (em 27 de setembro), na gestão do presidente Fumio Kato, foram incluídas na programação das festividades, a festa KEIROKAI (da 3ª idade) e os Campeonatos de Beisebol Infantil. Paralelamente, também foi impresso o Livrete Comemorativo dos 40 anos da ACENBI.

O responsável pela organização do Livrete foi o então vice-presidente Tatsuo Iso, grande incentivador para questões de sucessão e transição de gerações, que também fora responsável pelo mesmo trabalho, por ocasião da comemoração dos 30 anos em 1977.

Mais melhorias

A elaboração do projeto de melhorias do Centro Esportivo, aos 25 anos da ACENBI (13 de setembro de 1987), foi realizada durante o 2º mandato do presidente Fumio Kato (1987 -1988). O projeto, fruto do trabalho de três arquitetas contratadas e coordenadas pela diretoria da Associação, previa quadras de tênis, conjunto aquático, novo prédio para a escola de língua japonesa, novo playground, minicampo de futebol, quadras de gateball, quadra poliesportiva e novo prédio para a sede social.

A partir dai, com a compreensão e colaboração dos associados, foram sendo construídas novas instalações. Em maio de 1991, na gestão do presidente Toyozo Nomura, foram construídas quadras de tênis (com iluminação, possibilitando o uso noturno). Em 1996, na gestão do presidente Takashi Yamaki, foi possível concluir a tão esperada piscina.